noticias

Mercado de seguros regulados pela SUSEP

Arrecadação das seguradoras (área da Susep): Segundo a SUSEP, em jan./abr. de 2016, o faturamento do mercado de seguros regulado pela autarquia atingiu R$ 71,2 bilhões, o que representou aumento nominal de 6,0% sobre o volume no mesmo período de 2015. Dado que a inflação acumulada em 2016 (IPCA) em relação à acumulada em 2015 foi de 9,9%, infere-se que houve decréscimo real da arrecadação de 3,6%. Tal desempenho foi marcadamente diferenciado entre os grandes grupos – produtos de acumulação, produto de risco em seguros de pessoas, seguros gerais e capitalização. A arrecadação bruta de produtos de acumulação mostrou, em jan./abr. de 2016, alta de 10,4% sobre jan./abr. de 2015, sendo de se destacar o desempenho das contribuições do VGBL individual, que subiram 12,4% no mesmo período. As contribuições ao PGBL e a planos tradicionais tiveram variação de -1,0% e de -2,2%, respectivamente no período. Os prêmios de seguros de vida individual, vida coletivo e prestamista tiveram variações de 26,8%, 3,0% e -13,7% nesta ordem. Assim, os produtos de risco do ramo vida tiveram alta da receita de 2,6% em jan./abr. de 2016 sobre jan./abr. de 2015, abaixo da expansão dos produtos de acumulação. Em termos reais (ou seja, extraindo-se o efeito inflacionário), observa-se que a arrecadação dos seguros de pessoas/ produtos de risco caiu 6,7% em relação ao mesmo período 2015 enquanto a de seguros de pessoas / produtos de acumulação subiu 0,4%. A arrecadação de prêmios de seguros gerais cresceu apenas 3,5% em jan./abr. de 2016 sobre jan./abr. de 2015 em função do fraco desempenho da economia. Assim, em termos reais, tal arrecadação mostrou decréscimo de 5,8%. Dentro desse grupo, o faturamento do ramo mais importante - seguro de automóveis – caiu 4,0% sobre jan./abr. de 2015 e o do seguro patrimonial, alta de 6,5%, em jan./abr. de 2016 sobre jan./abr. de 2015. Em termos reais, as variações foram, respectivamente, de -12,7% e -3,1%. A receita das empresas de capitalização caiu 0,1% em jan./abr. de 2016 contra jan./abr. de 2015 em termos nominais.